(11) 4678 1461 | (11) 4678 1564

Biblioteca

A biblioteca do Instituto Educacional Luterano se destina aos alunos, professores e funcionários.

Dispõe de um ótimo espaço, com um acervo bibliográfico diversificado e periodicamente atualizado.

Serviços oferecidos:

  • Consulta local (Acesso ao Acervo);
  • Empréstimo (Livros e Revistas).

Fuvest - Obras obrigatórias Vestibular 2018

Iracema - José de Alencar

O romance conta o amor de um branco, Martim Soares Moreno, pela índia Iracema, a virgem dos lábios de mel. A relação do casal serviria de alegoria para a formação da nação brasileira. A índia Iracema representaria a natureza virgem e a inocência enquanto o colonizador Martim representa a cultura (europeia). Da junção dos dois surgirá a nação brasileira representada alegoricamente, então, pelo filho do casal, Moacir (filho da dor).

A cidade e as serras - Eça de Queirós

Marcado por intensa ironia, “A cidade e as serras” conta a história de Jacinto, herdeiro afortunado da antiga aristocracia rural portuguesa, cuja vida confortável e abastada em Paris é obrigado a deixar para tratar de assuntos familiares na ficcional Tormes, pequeno lugarejo serrano em Portugal. Entediado e infeliz na cidade grande, Jacinto entra em contato com uma paisagem rústica e natural até então desconhecida, descobrindo um novo modo de vida que decide experimentar.

Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade

Claro enigma representa um momento especial na obra de Drummond. Com uma dicção mais clássica, o poeta revisita formas que haviam sido abandonadas pelo Modernismo (como o soneto, modalidade que fora motivo de chacota entre as novas gerações literárias), afirma seu amor pela poesia de Dante e Camões e busca uma forma mais difícil, mas sem jamais abandonar o lirismo e a agudeza de sua melhor poesia.

Memórias póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis

Este romance tem como narrador um defunto, que procura recontar a própria vida, do fim para o começo, num relato marcado por franqueza e ironia.

O cortiço - Aluísio Azevedo

O Cortiço é considerado a sua obra-prima. O romance narra, em sua linguagem vigorosa, a vida miserável dos moradores de duas habitações coletivas.

Mayombe - Pepetela

A geração da utopia, de 1992, acompanha um grupo de jovens que sonhou e lutou por um país livre e se depara com a realidade de Angola pós-independência. Com ironia e espírito crítico, o romance revê e confronta os valores revolucionários expostos em Mayombe com o que foi efetivamente construído após a vitória do MPLA sobre Portugal.

Vidas secas - Graciliano Ramos

Em ‘Vidas Secas’, os personagens são impulsionados pela seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro.

Capitães da areia - Jorge Amado

Esta obra narra a história da vida urbana de meninos pobres e infratores que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. O livro vai revelando os personagens, cada um deles com suas carências e suas ambições – do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca.

Sagarana - João Guimarães Rosa

Apresentando a paisagem e o homem de sua terra numa linguagem já então exclusiva, por meio de contos como ‘O burrinho pedrês’, ‘Duelo’, ‘A hora e a vez de Augusto Matraga’, Guimarães Rosa fez deste livro a semente de uma obra cujo sentido e alcance ainda estão por ser inteiramente decifrados.